O que diferencia um indivíduo sedentário de um ativo fisicamente, segundo a Organização Mundial de Saúde, é o gasto de energia em atividades físicas durante uma semana. Para ser considerada ativa, a pessoa deve gastar pelo menos 2.200 calorias; menos que isso, é sedentária. Sabe como se gastam 2.200 calorias por semana? Praticando exercícios físicos durante meia horinha por dia. Só isso!

O ideal é que esse tempo seja consumido com exercícios aeróbios e anaeróbios. No primeiro estão atividades como nadar, andar, pedalar, dançar etc. Os anaeróbios são exercícios de força; eles exigem que os músculos sejam contraídos contra alguma resistência. Nas academias, são exercícios com peso (puxar ferro, como se diz).

Idosos – Antigamente, os médicos não indicavam atividade física para os idosos. A pessoa começava a envelhecer e era logo encostada numa cadeira de balanço para esperar a morte chegar. Esse tempo acabou. A prática de atividade física vai bem em todas as idades. E em todas as idades (não se surpreenda!) o acompanhamento médico é fundamental. Ninguém deve começar a frequentar uma academia sem consultar o cardiologista em primeiro lugar.

Sedentários inventam mil e uma desculpas para prosseguir naquela vidinha modorrenta de dormir, comer, ficar na frente da tevê – e, claro, encher o estômago de remédios… Muitas vezes, porém, faltam opções que caibam no bolso. Se é o seu caso, pode começar a preparar roupas e tênis. A AOMESP oferece uma academia completa, funcionando diariamente das 8 às 18h30.

Ali está toda a aparelhagem necessária para condicionamento físico: bicicletas, esteiras e aparelhos de musculação com peso. Você estará na companhia de meninos de 14 anos e senhores e senhoras que já passaram dos 70; uma das alunas está com 90 anos.

Quanto ao bolso, prepare-se para investir a fortuna de R$ 20,00 por mês (não associados pagam R$ 50,00), com direito a personal trainer. Formado pela Unicid, o preparador físico Alex programa o treino dos alunos e faz acompanhamento individual para que ninguém faça movimentos errados.
Vamos lá, mexa-se!